Novidades no site
Visitantes

Temos 3 visitantes e Nenhum membro online

Visitas
Hoje6
Ontem5
Esta semana53
Este Mês122
Estatística
Leituras:
144262

Início

Publicado em 01.01.16 Escrito por Fabio Bearzi
Imprimir E-mail

D de Destino (Almir Sater e Renato Teixeira)

 

A cigana sorriu com seus dentes de ouro e leu minha sorte

Linhas na palma de mão para sempre serão meu passaporte

Minha mãe me falou sobre a cruz de Jesus suas chagas seus cortes

E o meu pai me entregou seu facão Guarani e apontou para o norte

 

Assim começa o novo CD de Almir Sater e Renato Teixeira, lançado agora em dezembro de 2015. Para os fãs da dupla, um cd que chegou para saciar a sede de quem esperou quase dez anos por este lançamento. Lindas composições:

D de Destino

 
E                D                 A              E                      D      A     E
A cigana sorriu com seus dentes de ouro e leu minha sorte
Linhas na palma da mao para sempre serão meu passaporte
Minha mae me falou sobre a cruz de Jesus suas chagas, seus cortes
 
 
E                           D              A            E.                         A    E     B
E meu pai me entregou seu facão Guarani e apontou para o norte
 
E.             D                               A
Quero viver, muito alem das fronteiras
Dos que so sabem ser pedras de atiradeira
Eu devia saber que de certa maneira.
Não seremos jamais mais que grãos de poeira no Céu…
 
Era um D de Destino um E de Esperança ou de Encruzilhada
Era um N de Nunca ou quem sabe de Nuvens e um dia ela passa.
Tantas vezes me vi tendo que decidir entre o nada e o nada
Mas quem leva a certeza no meio do peito não teme a empreitada
que virá, a seguir…
 
Quero viver muito além das fronteiras
Dos que só sabem ser pedras de atiradeira.
Eu devia saber que de certa maneira.
Não seremos jamais mais que grãos de poeira
no Céu…
 
Era um Rei e uma Dama um Valete de Ouro carta marcada.
Era só nosso amor era tudo de bom era um abracadabra.
Vem um raio de sol pela telha quebrada lá na calha d’água.
É o cheiro de mato e de terra molhada na beira da estrada…
 
Vem longe vem
Vem longe vem
Vem longe vem…
 
Era um D de Destino um E de Esperança ou de Encruzilhada
Era um N de Nunca ou quem sabe de Nuvens e um dia ela passa.
Era um D de Destino um E de Esperança ou de Encruzilhada
Era um D de Destino um E de Esperança ou de Encruzilhada
 
Vem longe vem
Vem longe vem
Vem longe vem…
 

 

E                D                 A              E                      D      A     E
E                D                 A              E                      D      A     E

Логофет Вадим Геннадьевичкремовые тениооо полигонновые смартфоныonline languageкакой лучшеалександр лобановский